Treinar para garantir a segurança

Treinar para garantir a segurança

A liderança da Tecnotextil no mercado deve-se ao investimento em qualidade e segurança. A empresa ampliou sua equipe e vem investindo em estrutura para capacitar sua clientela a usar corretamente as cintas de movimentação de cargas.

Reforçando cada vez mais a política da segurança e da qualidade, em 2008 a meta da empresa é treinar todos os seus representantes e, em 2009, capacitar inspetores de cintas (a exemplo do almoxarifado) nas empresas, buscando aprofundar o debate do tema entre usuários (a exemplo dos encarregados de área, engenheiros, gerentes, operadores e técnicos de segurança do trabalho). Para tal, a empresa construiu em sua sede um auditório, onde realizará treinamentos.

Com capacidade para 100 pessoas e área de 180m², o auditório é dotado dos mais modernos recursos, como áudio e vídeo, cadeiras com prancheta e flipchart, quadro branco e projetor.

Com esta infra-estrutura, a média de treinamentos será de duas mil pessoas por ano. Além disso, anualmente serão realizados na Tecnotextil quatro treinamentos para inspetores de cintas. “Faz parte da política da boa gestão treinar o usuário antes de usar um produto. Não queremos só vender a cinta, queremos que o usuário a utilize com segurança, de forma a evitar acidentes”, explica o gerente da Qualidade, André Lopes.

Treinamento em JoinvilleMarcos Oliveira no
treinamento em Joinville (SC)

Além de contar há muitos anos com a expertise do técnico Marcos de Oliveira, a equipe de treinamento foi ampliada com a contratação do técnico Ednaldo Silva. Há 17 anos no mercado, o novo colaborador já atuou como gerente e diretor comercial e acumula ampla experiência no desenvolvimento de projetos para movimentação de cargas. Coordenou a fase inicial de discussão da implantação de uma norma de elevação, movimentação e amarração de cargas na ABNT. Realizou diversos cursos de elevação e amarração de cargas e segurança na Alemanha, França e Espanha, em conformidade com as normas internacionais EN 1492, EN 12.195 e EN-ISO 12.100. “Trabalhei muitos anos em vendas. A necessidade de apresentar o produto acabou gerando a necessidade de treinar para o uso do produto”.

Atualmente, a única empresa no mercado que promove treinamento sem custo para o cliente é a Tecnotextil, assegura Silva. “É um benefício muito grande para o usuário, mas nem sempre a área de compras leva isso em consideração. Há quem pense que para reduzir o custo de uma empresa deve-se reduzir a segurança”. No entanto, a atuação do Ministério do Trabalho torna-se cada vez mais enfática, responsabilizando sobre os acidentes e classificando-os.

Treinar o uso da cinta é imprescindívelTreinar o uso da cinta é imprescindível
(Foto de Bruno Rios, do site Porto Gente)

Lopes afirma que, como a maioria das empresas do segmento não treinam os clientes, alguns usuários, apesar de adquirirem produtos dos concorrentes, acabam solicitando à Tecnotextil este tipo de serviço. Cada vez mais a Tecnotextil enfatiza sua preocupação com a sua segurança e com a da carga. Informadas, as pessoas optam pelos melhores produtos. “A questão é a transparência, ainda que o cliente opte pela concorrência”, justifica. Segundo o gerente da Qualidade, a realização constante de treinamentos é imprescindível, já que, por muito tempo, o mercado convivia apenas com a presença maciça dos cabos de aço, ou seja, não havia uma cultura sobre o uso das cintas. “A Tecnotextil foi uma empresa que desbravou o mercado, implantando o produto há 25 anos”, lembra Lopes.

A Tecnotextil tornou-se referência em movimentação segura de cargas e, por isso, recebe contatos de profissionais de diversas empresas e instituições públicas que buscam informações sobre a movimentação de cargas com segurança. “Nas universidades e cursos técnicos vem crescendo o interesse por informações sobre a movimentação segura de cargas”, diz Lopes.


Mais de duas décadas treinando empresas

Há mais de 20 anos treinando usuários de cintas, o técnico Marcos Oliveira viaja o Brasil orientando os clientes sobre a melhor forma de utilizar os produtos e movimentar a carga, bem como sobre a inspeção e o momento certo do descarte. Cada empresa chega a receber três treinamentos por dia, divididos em turnos.

Conforme o técnico, o operador deve sempre observar as recomendações de uso para elevação e amarração de cargas e jamais exceder os limites de peso determinados na etiqueta. Deve, também, evitar usar cintas danificadas, com início de rupturas, cortes ou avarias. Além disso, os pontos de posicionamento das cintas na carga (centro de gravidade) devem ser iguais ou maiores que a largura das próprias cintas e não se deve posicionar as cintas em cantos vivos ou cortantes sem utilizar proteção.

Outra dica interessante é, ao descer a carga, colocar calços sob ela para evitar o contato direto com o piso e facilitar a remoção ou colocação das cintas.

Antes de usar, verifique! As cintas devem ser examinadas a cada operação. A elevação e descarga devem ser suaves e balanceadas para evitar acidentes, aperfeiçoar o trabalho e preservar a vida útil da cinta. Ao elevar qualquer carga com mais de uma cinta, é preciso verificar se o total do peso está bem distribuído em relação aos vértices das cintas, além de evitar colocar mais de um par de cintas no mesmo gancho.

Por último, sempre use cintas de movimentação certificadas por entidades internacionais e que apresentem etiquetas – ou estampas –, na superfície, a carga nominal e o Fator de Segurança (FS).


Ícone seperador de posts da Tecnotextil - Cintas para Movimentação de Cargas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *