Cuidados na amarração de cargas: acidentes em Março/2017

Recebemos um retorno de um de nossos seguidores no Facebook referente às postagens que fazíamos, denunciando acidentes por falta de amarração de cargas.

Vamos passar a fazer estas divulgações em nosso Blog, continuando com os alertas, porém com uma melhor explicação especificamente com relação à amarração de cargas: o que possivelmente pode ter acontecido para originar ou agravar o acidente e quais seriam as recomendações para evitar estas falhas.

Para que serve a amarração de cargas?

Primeiramente é preciso ter claro o objetivo da amarração ou fixação das cargas no veículo de transporte. De maneira simples e direta, clara e objetiva: a amarração serve para evitar o deslize da carga!

É preciso ter em mente que se a carga na carroceria estiver solta, vai deslizar lateralmente, para frente ou para trás, conforme as forças de deslocamento durante o transporte.

Ilustração dos coeficientes de aceleração: 80% na freada brusca; 50% nas curvas e arrancada.

Ilustração dos coeficientes de aceleração: 80% na freada brusca; 50% nas curvas e arrancada.

A carga receberá as forças de deslocamento no mesmo momento, independente da velocidade do veículo ou peso da carga! Se duas cargas de madeira estiverem soltas, pesando 100 kg ou 1000 kg, elas vão se deslocar ao mesmo tempo e na mesma direção.

Quando o veículo de transporte freia, a carga recebe o esforço que a faz deslocar para a frente. Também temos esforços laterais nas curvas e esforços “para trás” nas arrancadas.

É para isso que serve a amarração: para segurar a carga de tal maneira que, mesmo nas piores condições, ela se mantenha imóvel na carroceria do caminhão.

4 acidentes registrados em Março de 2017

Em 06/03/2017, houve um tombamento de um caminhão, complicando o trânsito em Braz Cubas; sem falar de todo transtorno e prejuízo ao caminhão e ao dono da carga!

Repare que a matéria deixa claro que houve deslizamento: “Segundo o motorista (…), ele havia realizado o carregamento em uma empresa de bobinas na Cidade e, quando foi realizar a curva acentuada para acessar a David Bobrow, a carga virou resultando no tombamento do caminhão.”

Vemos aqui que aquelas forças de 50% (ilustração acima, forças laterais) atuaram sobre a carga que, por falta de uma devida amarração, deslizou e, consequentemente, fez com que a carga tombasse o caminhão!

Neste caso podemos afirmar com certeza: a falta de uma devida fixação deu origem ao acidente!


Já nesta outra matéria de 17/03/2017, não podemos afirmar categoricamente que foi o deslize da carga que originou o problema (possível e até provável, mas não é certeza).

Porém, não resta dúvidas que se a carga estivesse devidamente amarrada, com certeza os prejuízos e o transtorno seriam minimizados: repare que a carga ficou espalhada por toda pista.

Olhares mais atentos verão que a carga estava amarrada com fita de arquear (azul/verde claro na imagem): as fitas de arquear são excelentes para embalagens em geral, mas não podem ser confundidas com produtos para amarração de cargas!

Tanto é que não estão previstas nem em normas técnicas (NBR 15.883), tampouco nas resoluções CONTRAN (por exemplo, a 552/15 que trata da amarração de cargas em geral).


Em 20/03/2017, houve um acidente gravíssimo: destacando o que está descrito na matéria “(…) a carga de garrafas pendeu para o lado e a cabine do caminhão acabou tombando”.

Vemos portanto que houve o deslocamento da carga, o que configura a falta de uma devida fixação de carga. Esse erro, infelizmente, levou à morte do caminhoneiro.


Em 28/03/2017, mais um tombamento onde acreditamos ser muito provável a falta de amarração, pela fotografia no local.

Trata-se de um caso muito corriqueiro: o motorista fica com a ilusão de que apenas as guardas laterais da carroceria “dão conta” pois a carga de lâminas de madeira aparenta ser leve, há uma despreocupação natural com a amarração da carga.

Porém quando somado o peso de todas as lâminas, passamos a ter uma carga de peso extremamente relevante e suficiente para tombar um veículo!

Conclusão: como evitar acidentes por falta de amarração?

O conhecimento técnico é vital: conheça as resoluções CONTRAN que tratam do assunto, em especial a 552/15 que trata da amarração de cargas em geral. E principalmente a norma NBR 15.883 (parte 1 que trata dos cálculos de amarração).

Verifique também nossa página de perguntas frequentes (FAQ), onde destacamos abaixo 4 perguntas sobre o tema:

Como fazer a correta amarração da carga?

Como saber quantas cintas são necessárias para amarrar a carga?

Por que as cintas Levtec duram mais?

Qual o tempo de vida útil das cintas?

Conte sempre com a Tecnotextil para colaborar na elaboração de planos de movimentação e em caso de dúvidas, peça suporte na página de Contatos!


Ícone seperador de posts da Tecnotextil - Cintas para Movimentação de Cargas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *