Cintas de poliéster ou cabos de aço?

Cada vez mais imprescindíveis em processos de movimentação, os materiais têxteis vêm ocupando um espaço que antes pertencia somente ao aço, considerando a definição abaixo de material para amarração e elevação de cargas, ratificada pela ASME B30.20:

“São todos os acessórios, equipamentos e dispositivos de içamento ‘bellow-the-hook’ (abaixo do gancho) tais como, cabos de aço, cintas, manilhas, correntes, ganchos, elos, dispositivos, especiais, etc. Esses acessórios são muito importantes, pois são o elo entre a carga e os equipamentos de guindar (guindastes, pontes rolantes, empilhadeiras, pórticos, etc).”

Inspeção preventiva em materiais de içamento. Crane Brasil. São Paulo, n. 57, p. 30 fev. 2018.

Justamente “acima do gancho” os cabos de aço ainda são essenciais na movimentação de cargas. Mas como interface (elo) entre a carga e o dispositivo de guindar, as cintas têxteis proporcionam melhor desempenho e performance devido sua praticidade de uso.

A cinta faz a interface entre a carga e o dispositivo de elevação.

Neste artigo vamos explorar as diferenças de usar laços de cabos de aço ou cintas de fibras têxteis.

A delicadeza brutal das cintas LEVTEC

As cintas Levtec dão praticidade e fornecem melhor ergonomia às operações, além da vantagem que todos já sabem: não danificar os produtos durante o manuseio.

Esta bobina não vai sofrer nem um arranhão!

O manuseio de cintas têxteis, ao invés de cabos de aço, é fácil e bem menos fatigante. Porém, isto não quer dizer que as cintas perdem para os cabos de aço em termos de capacidade de carga!

Atualmente ofertamos cintas Levtec tubulares em Dyneema onde temos produtos de linha com capacidade de carga de até mil toneladas.

É isso mesmo, você não leu errado!

Uma cinta ref. TD1000 por exemplo de 5 metros, terá um peso de aproximadamente 300kg porém com uma capacidade nominal para elevação de 1 milhão de kg! Imagina quanto pesaria um cabo de aço com carga de ruptura de 5 mil toneladas!?

Veja mais sobre este modelo de cinta em outra matéria:
https://www.tecnotextil.com.br/tecnotextil-lanca-de-sua-nova-linha-de-cintas-tubulares-levtec-nucleo-em-dyneema/

Tecnotextil lança nova linha de cintas tubulares LEVTEC com núcleo em Dyneema® (publicado em 11/10/2016)

Outra vantagem se mostra presente ao fazer o armazenamento dos materiais, bem como rápida e segura a identificação da capacidade de cargas pelo padrão internacional de cores.

Armazenagem de acessórios para movimentação de cargas.

Para o devido armazenamento, os laços de cabos de aço necessitam de maior espaço e principalmente manutenção (lubrificação) para acondicionamento e cuidados contra corrosão.

Já as cintas têxteis requerem espaço mínimo e não correm o risco de corrosão: basta guardar em local seco e arejado, conforme recomenda nossa cartilha (ver link ao final da matéria).

Em alguns casos especiais não diretamente relacionados à movimentação de cargas, as cintas sintéticas também são mais eficientes (como no acionamento de moendas) e mais seguras (como no uso em reboques).

É o fim do cabo de aço?

Não! Primeiramente, ratificando a introdução da matéria, o cabo de aço ainda é fundamental para o devido funcionamento dos dispositivos como guindastes, pontes rolantes etc.

Ainda temos também algumas limitações com relação ao ambiente de uso, onde correntes e cabos de aço com alma de aço são resistentes a maiores temperaturas. Por exemplo as cintas de poliéster tem limite máximo de 100º C de temperatura ambiente.

Inspeção

Neste tópico reside o maior ganho na economia das cintas em relação aos cabos de aço, além do óbvio menor custo de aquisição.

Um fator importante é que o cabo de aço se deforma quando dobrado, por exemplo fazendo uma movimentação em cesto (envolvendo a carga) o que jamais ocorrerá com uma cinta!

A cinta pode ser dobrada para uso em cesto (forma de movimentação Basket) ou mesmo ser utilizada para enforcar a carga (Choker), permanecendo em plenas condições de uso.

Em cabos de aço, a presença de vincos (que costumeiramente surgem após uso do cabo nestas formas de uso acima citadas) é um critério de descarte, conforme as extensas normas de inspeção de cabos de aço.

Este é outro ponto a favor das cintas: você não precisa estar adquirindo uma norma à parte para inspeção de cintas. A inspeção é relativamente simples e faz também parte do escopo das normas que incluem além dos requisitos de fabricação e inspeção, requisitos para homologação (certificação), utilização, conservação, descarte e métodos de classificação, inspeção e ensaios.

Quanto tempo será investido para inspecionar este cabo?

Durabilidade

No quesito durabilidade, as cintas também saem à frente. Embora no caso dos dois produtos não haja tempo pré-determinado de duração, os cabos de aço sofrem influência de redução no diâmetro total e arame, a já citada corrosão (interna e externa), arames rompidos por fadiga de flexão, abrasão, amassamento etc.

No caso das cintas têxteis há influência de abrasão e principalmente corte. No entanto, considerando o uso correto, adoção de proteções e a devida inspeção (leia cartilha abaixo citada), as cintas têm um tempo “indeterminado” de utilização.

Baixe a cartilha no link abaixo:
https://www.tecnotextil.com.br/downloads/cartilha-de-inspecao-manuseio-para-movimentacao-de-cargas/

Cartilha de Inspeção e Manuseio para Movimentação de Cargas

Ícone seperador de posts da Tecnotextil - Cintas para Movimentação de Cargas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *